Pesquisar este blog

domingo, 27 de novembro de 2011

Filtros em Série ou em Paralelo?

Há pouco tempo se vem notando no Brasil o uso de filtros canisters ligados em série imitando uma técnica um pouco mais antiga praticada no Japão. Funciona assim:
O 1º canister recebe a captação de água e no seu interior vão acomodados as mídias de filtragem mecânica (rings distribuidores de fluxo, esponja e perlon) e mídia biológica. A saída de água deste filtro é conectada na entrada do 2º filtro e neste vão acomodados apenas a mídia biológica e no máximo uma camada fina de perlon. Qual a importância disso? Ao dedicar a filtragem mecânica ao filtro de entrada do sistema o aquarista maximiza a quantidade de mídia biológica priorizando a estabilidade do aquário. Essa prática não limita a quantidade de filtros a dois, pode-se usar vários filtros ( três, quatro... há relatos de até sete filtros ligados assim tocando um  aquário grande no Japão). No Japão a ADA é a principal divulgadora dessa técnica e no Brasil a Aquabase, seu representante autorizado também a incentiva.
A função prática da ligação em série é a de maximizar a depuração biológica de compostos orgânicos particulados ou dissolvidos. A aplicação se dá principalmente em aquários nos estilos Nature e Holandês devido ao cuidado com o excesso de fluxo de água que facilita as perdas de CO2 para a atmosfera. Por exemplo: Um aquário de 200 litros com dois Eheim 2215 funcionando isolados circulam 1200 litros/hora, ambos contendo mídias para filtragem mecânica e biológica. Ligados em série o mesmo conjunto circulará 600 l/h resultando num fluxo mais calmo e sem interferir muito na quantidade de CO2 dissolvida na água. Além disso pode-se por quase o dobro de mídia biológica do que nos filtros isolados.
Qualquer aquário pode ter essa configuração? Sim e Não... Um aquário com uma população proporcionalmente reduzida é muito bem atendido por dois canisters de baixo fluxo em série, mas um aquário com muitos peixes e/ou peixes de grande porte poderá necessitar de uma filtragem mecânica mais forte (neste caso não se trata de um Nature ou de um Holandês, mas de um comunitário ou um biótopo por exemplo). Então o mesmo aquário de 200 litros muito bem populado teria que ficar:
a) com os dois filtros isolados;
b) com os dois filtros ligados em série + um filtro complementar (hang-on ou interno com perlon);
c) com quatro filtros ligados em duas séries isoladas (1º ligado ao 2º e 3º ligado ao 4º)

Logo de cara a solução mais barata é deixar os filtros isolados, mas dependendo principalmente das condições econômicas do aquarista o mais interessante seria a alternativa B, mas se seu aquário contemplar espécies raras ou variedades caras de peixes, invertebrados e plantas e ainda for bem plantado a alternativa C seria a mais próxima do ideal. Lembrando que as considerações que postei sobre essa técnica correspondem principalmente ao uso prático e empírico da mesma, não sendo válidas como informações científicas e sim como referenciais para futuras reflexões sobre o assunto. 
Comentários concordando, discordando, criticando (só não vale xingando!) serão bem vindos.
Abraços!

4 comentários:

Anônimo disse...

É possivel usar o filtro em série em aquarios de água salgada? Por exemplo, tenho um aqua de 45x45x90, acredito que tem uns 130 litros de água, mais o substrato de área no fundo e quanse uns 2 kg de rocha viva. tenho ainda 2 mandarins, 2 palhaços, 1 dansel, e mais 2 peixes que num lembro o nome e camarões e alguns corais. O unico problema do meu aqua é o nitrato, que esta sempre na faixa de 50ppm porque eu aliemnto os peixes 3 vezes por dia...Eu não queria colocar mais um filtro canister no aqua, por isso estava pensando em colocar em 'série...Será que isso vai ajudar com o meu nitrato?

AquaMan disse...

Amigo,filtros canisters não são recomendados para aquarios marinhos porque acumulam material orgânico cuja decomposição resultaria justamente no Nitrato (é o seu caso),em aquários plantados essa substância é consumida pelas plantas e mantida sob controle (em aquas densamente plantados ela chega até mesmo a se esgotar exigindo que o aquarista adicione fertilizantes ricos em nitrato). Para o seu aquário eu recomendo o uso de um Skimmer montado em um SUMP, a função do Skimmer é retirar a matéria orgânica do sistema e junto com as rochas vivas reduzir o nitrato a próximo de zero. Se quizer manter o canister neste aquário recomendo montar um refúgio com macroalgas, mas sinceramente não seria a solução mais prática e nem a mais barata a longo prazo.O Skimmer é tão caro quanto um canister, mas um Skimmer FVM é mais fácil de fazer do que um canister FVM. Para esta litragem de aquário é fácil encontrar modelos mais em conta de skimmers inclusive alguns modelos Hang-on que dispensam a construção de um SUMP. Dê uma pesquisada usando as seguintes tags: "Skimmer", "Skimmer fvm", "Skimmer diy", Skimmer hang-on", "Sump", "Refúgio aquário marinho". Você poderá vender esse canister para investir no skimmer ou no sump e ter uma filtragem mais adequada para o seu aqua ou poderá aproveitá-lo numa montagem de água doce. Abraço!

Anônimo disse...

Dicas para Fitas LED durarem mais:

01 - As fitas Led funcionam em 12V. Use uma fonte com ajuste de voltagem e regule em 11V. Compre uma fonte capaz de fornecer o dobro da amperagem consumida pela fita, para que a fonte não esquente muito.

02 - Solde um diodo ZENER de 15V e 1 W nos conectores da fita, para proteger os Leds contra picos de tensão. Desta forma, qualquer pulso elétrico acima de 15 volts será drenado pelo zener, prolongando a vida útil dos Leds. O zener tem uma MARCA em uma das extremidades. Essa marca simboliza o cátodo. Solde o lado do cátodo no conector POSITIVO da fita, e solde o outro lado no conector NEGATIVO da fita. Aí basta ligar na fonte. O fio positivo da fonte no positivo da fita, e o fio negativo da fonte no negativo da fita (solde os fios da fonte nos próprios fios de estanho do zener) (um de cada lado do zener, óbvio) para evitar de colocar mais de uma gota de solda direto nos conectores da fita. Se precisar dividir a fita em várias partes, solde um zener em cada pedaço de fita Led.

03 - Evite ligar e desligar a fita Led MUITAS vezes ao dia. Os Leds vão enfraquecendo a cada acionamento, principalmente se não estiverem protegidos. Assim, cada vez eles necessitam de uma quantidade maior de volts para funcionarem.

04 - Um dissipador térmico é sempre benéfico.


(Uma boa idéia para iluminar o aquário)

Alexandre Magno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.